Entidades sindicais que defendem os trabalhadores da Educação, centrais sindicais, movimentos estudantis, movimentos sociais e trabalhadores foram às ruas nesta quarta-feira (15), defender o financiamento permanente da Educação, com a aprovação do Novo FUNDEB, e lutar contra a DEFORMA da Previdência, com repúdio total aos cortes no orçamento das universidades e institutos federais.

A manifestação foi puxada pelo Trio Elétrico da Educação. Unidos, Sindicato APEOC e SINDIUTE, na defesa da Educação Pública de qualidade e profissionais valorizados. Os manifestantes seguiram pela Rua Senador Pompeu, entraram na Avenida 13 de maio, e finalizaram com um grande ato no cruzamento com a Avenida da Universidade.

Mais de 100 mil pessoas nas ruas contra os desmandos do Governo Federal. Fortaleza teve o maior ato do país. Anizio Melo, presidente da APEOC, chamou atenção de todos para a importância da aprovação do Novo FUNDEB, a união das entidades sindicais do Norte e Nordeste em prol do financiamento da Educação, o repúdio à DEFORMA da Previdência e a retirada de direitos, o criminoso corte no orçamento das universidades e Institutos Federais, e chamou toda a população para a Greve Geral, no dia 14 de junho. “Em junho a manifestação deve ser ainda maior. Todos juntos contra esse governo que só quer retirar os direitos do trabalhador. 14 de junho todo mundo na rua”, afirmou Anizio Melo.

Unidos APEOC, SINDIUTE, FETAMCE, ADUFC, SINDSIFCE, SINTUFCE, SINDpd, SINDFORT, CTB, Movimentos Estudantis (ACES, UBES, UNEFORT, UJS), Movimentos Sociais (MTST, MNU), Centrais Sindicais (CUT, CTB, Conlutas, Intersindical, CGTB).

Mas a manifestação não foi só em Fortaleza. No interior do Ceará, em mais de 40 municípios, profissionais da Educação, trabalhadores e trabalhadoras unidos contra a DEFORMA da Previdência, que atinge em cheio os professores, em especial as professoras. Veja as fotos: