APRESENTAÇÃO DO LIVRO

Por Francisco Marques Sampaio
Prof. de Língua Portuguesa, Linguística e Literatura

Quando comecei a ler profundamente os primeiros poemas desta obra, de Wagner Gomes, vieram-me à mente os versos do grande escritor português Fernando Pessoa: “O poeta é um fingidor/Finge tão completamente/Que chega a fingir que é dor/A dor que deveras sente”. Pode-se dizer, neste contexto, que em “Parênteses”, em toda a sua extensão temática, observa-se um mergulho na alma humana quando o leitor, à entrega total da imaginação e no contínuo resgate dos valores existenciais do pensamento filosófico, logo encontra as respostas para seus questionamentos.

O poeta, mais que um filósofo em sua essência, provoca a sensibilidade deste leitor contemplado pelas palavras metafóricas da obra e pela originalidade da composição poética. Em “Agonias, poesias de Angústia”, primeira parte do livro, Wagner Gomes enaltece as provocações da natureza humana com suas crises existenciais tão bem expressas pelo sentimento do eu-poético. Em seguida, o poeta traz “Exéquias, poesias de morte” como uma volta ao sentimento exacerbado ultrarromântico, marcado pela busca contraditória entre o viver e o morrer, a dor da morte e o suicídio como condições existenciais da natureza do homem. Por outro lado, em “Erogenias, poesias do amor”, última parte da obra, Wagner Gomes vai além de um sentimento provocante do corpo pela libido ao usufruir da descrição poética naturalista.

“Deixe o poeta o mistério conhecer…”, palavras estas tão bem proferidas no poema “Dante” revelam o verdadeiro propósito comunicativo de Wagner Gomes. Certamente, ao contato com a obra, o leitor inicia um mergulho na leitura contemplativa por meio da catarse, a descarga emocional provocada pela profundidade temática dos poemas em “Parênteses”.

Portanto, convido a todos que descubram a essência literária do pequeno grande poeta Wagner Gomes pela leitura atenta e investigativa de seus versos, tão bem construídos e fundamentados na filosofia, na vida e nos mistérios da criação humana:

A filosofia humana há muito traz
O mistério voraz que o olha à espreita.
Vigilante o homem aguarda e não deita
Com medo do fim – do repouso em paz.

Wagner Gomes

Wagner Gomes

Magistrado na Rede Estadual de Ensino do Estado do Ceará

Wagner Gomes é senadorsaense, casado, filho de D. Sheila, uma dona de casa e de Seu Francisco, um carpinteiro. Tem trinta e um anos e é o primogênito de uma família de quatro filhos. É licenciado em Filosofia e exerce o magistério na Rede Estadual de Ensino do Estado do Ceará. Parênteses é seu primeiro livro.

Fanpage: https://www.facebook.com/wagnergomesescritor?ref=hl
Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100002461054462
E-mail para compra do livro: livroparenteses@outlook.com