O Sindicato APEOC em Nova Olinda, representado pela presidente da Comissão municipal, Socorro Matos, e pelo assessor sindical, Roque Melo, reuniu-se na terça-feira (19), com professores do município para discutir a proposta de readequação do Plano de Carreira do Magistério, tabela salarial, atividade extraclasse, afastamento para especializações e Ampliação Definitiva de Carga Horária. O objetivo é construir a Pauta da Educação para ser entregue à prefeitura.

A APEOC busca resolver o impasse sobre a hora/aula do professor, desde que os docentes da Educação infantil ao 5º ano têm uma hora/aula de 60 minutos e os professores do 6º ao 9º tem uma hora /aula de 45 minutos. A reivindicação é que para ambas turmas, a hora/aula seja de 45 minutos.

Sobre a Ampliação Definitiva de Carga Horária, a APEOC propõe que os professores que tenham 5 anos de ampliação, tendo carência na área, sejam ampliados definitivamente.

Entrou na pauta de discussão ainda a atividade extraclasse. Atualmente, a categoria tem 1/3 da carga horária dedicado para planejamento em local definido pela secretária de Educação ou estabelecimento de ensino. A reivindicação é que metade seja realizado em local definido pela secretaria de Educação ou estabelecimento de ensino e outra metade em local de livre escola do docente.

Sobre a tabela salarial, a APEOC propõe que o interstício existente atualmente de 15% entre graduado, especialista, mestre e doutores seja estabelecido na tabela vencimental e no vencimento base. Ou seja, um professor graduado vai ter um piso 20% acima do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério, o especialista terá 20% acima do piso do vencimento base do graduado, o mestre 10% em cima do vencimento base do especialista e o doutor terá 10% do vencimento base do mestre.

Outra mudança ocorre no contexto da Educação inclusiva, a proposta é que os professores que atuem em escolas com alunos com necessidades especiais e educação inclusiva recebam ao menos 2% de gratificação sobre cada aluno incluso. Atualmente os professores não têm nenhuma gratificação desta modalidade.

A APEOC reivindica ainda que os professores que tiverem que se afastar da sala de aula para fazer uma especialização, mestrado ou doutorado, que sejam afastados com ônus para o município e sendo custeado pelo mesmo. Porém, o professor terá que se comprometer que ao retornar do curso permanecer na rede no mínimo por igual período do afastamento.