pisa 2015 results in focuspO Sindicato APEOC parabeniza todos os profissionais da Educação e os estudantes cearenses, além dos pais, pelo desempenho no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), coordenado mundialmente pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Na edição de 2015, divulgada nesta terça (06), o Ceará é o Estado do Nordeste que obteve a melhor posição no ranking.

Entre as avaliações de 2012 e 2015, o Ceará elevou sua posição no Pisa. Em Matemática, saiu da 16ª para a 8ª colocação. Antes, a pontuação era de 378 e passou para 382. Em Leitura, de 397 alcançou 409 pontos. Assim, deixou a 14ª posição para ocupar a 10ª. Na área de Ciências, a pontuação era de 386 e foi ampliada para 401, saindo da 17ª para a 10ª posição.

É preciso mais valorização!

Apesar do avanço no ranking nacional, a pesquisa demonstra o quanto a Educação Pública no Ceará é um setor carente de investimentos. Para o Sindicato APEOC, é preciso valorizar ainda mais os profissionais da Educação. Um dos caminhos é a efetivação da Nova Carreira do Magistério, que aguarda há mais de um ano ser regulamentada pelo governador Camilo Santana. Outro desafio é criar uma carreira específica para os funcionários da Educação, com melhoria na remuneração desses profissionais.

E valorização se faz com garantia de financiamento. O governo golpista de Michel Temer ameaça os royalties do pré-sal para Educação e Saúde e, com a PEC 55, sinaliza o congelamento dos investimentos nesses setores pelos próximos 20 anos. Sem falar numa proposta de Reforma do Ensino Médio, imposta por meio de uma medida provisória, com foco na formação de mão-de-obra barata para o mercado de trabalho.

Sobre o Pisa

O objetivo do Pisa é produzir indicadores para subsidiar políticas de melhoria do ensino básico. A avaliação procura verificar até que ponto as escolas de cada país participante estão preparando seus jovens para exercer o papel de cidadãos na sociedade contemporânea.

O Pisa testa os conhecimentos de matemática, leitura e ciências de estudantes. Cada edição foca uma das áreas. No ano passado, o foco foi em ciências e por isso reuniu o maior número de questões dessa avaliação.
No Brasil, o Pisa é coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A cada três anos, é feita a avaliação de estudantes entre 15 anos e três meses (completos) e 16 anos e 2 meses (completos) no início do período de aplicação da avaliação matriculados a partir da 7º série/ano.

Amostra

A edição de 2015 foi a primeira com aplicação totalmente computadorizada. Foram selecionados estudantes das 27 unidades da Federação (UFs), totalizando 23.141 alunos de 841 escolas do Brasil. Do Ceará, foram 934 estudantes e 35 escolas.

O perfil típico do estudante brasileiro participante foi do sexo feminino (51,5%), matriculado no ensino médio (77,7%) de uma rede de ensino estadual (73,8%), localizada em área urbana (95,4%) e no interior (76,7%).

Com informações do site do INEP e da Seduc