O Sindicato APEOC entrou na última terça-feira (22), com uma ação na Justiça contra o Governo do Estado do Ceará, solicitando a suspensão dos efeitos do decreto estadual que autorizou o retorno às aulas presenciais no dia 1 de outubro.

A ação visa defender o Direito Fundamental à Vida e à Saúde de dezenas de milhares de trabalhadores da educação bem como de centenas de milhares de alunos e familiares que correrão grande risco de serem infectados com o CORONAVÍRUS caso as aulas presenciais retornem neste momento.

A intenção da entidade com a medida judicial pleiteada é manter e melhorar o atual sistema de ensino remoto, enquanto não exista condições sanitárias de um retorno seguro. Não é justo que ninguém pague com a vida o preço por uma eventual abertura de atividades presenciais sem condições.

Nós da APEOC acreditamos que o retorno às aulas presenciais sem medidas efetivas de segurança sanitária para estudantes, professores e profissionais da Educação é precipitada, e deverá causar um aumento alarmante nos casos de COVID-19 em Fortaleza e na região metropolitana, o que pode se espalhar por todo o Estado do Ceará.

Neste momento em que a pandemia ainda avança pelo mundo, nosso foco é em defesa da vida, com investimentos estrutural e financeiro para realização de aulas remotas e adequação das escolas.

Desta forma, lutamos pela continuidade das aulas remotas, com mais investimentos. Nosso objetivo, acima de tudo, é a preservação da vida.