O Sindicato APEOC esteve na manhã desta quarta-feira (21) na Prefeitura de Boa Viagem, em uma audiência com a procuradora do município, Rosângela Pimentel. O encontro foi para apresentar as reivindicações dos professores que ainda não obtiveram respostas da prefeita, Aline Vieira. O Sindicato também prestou atendimento individual aos sócios.

Estiveram presentes na reunião o vice-presidente estadual da APEOC, Reginaldo Pinheiro; o assessor jurídico, Ítalo Bezerra; a presidente e o tesoureiro da Comissão Municipal da entidade em Boa Viagem, Socorro Leocádio e Ivanir Vieira, respectivamente; além de um grupo de professores municipais.

Reivindicações

O Sindicato aproveitou o encontro para solicitar uma mediação por parte da procuradora, pois as reivindicações já foram apresentadas à gestão municipal, mas sem respostas. A entidade cobrou urgência no fim dos sábados letivos, que extrapolam a jornada de trabalho dos servidores; o pagamento do rateio do Fundeb de 2016, que teve um adicional no final do ano com a verba da repatriação; o fim do assédio moral e perseguição por motivos políticos dentro das escolas; além do reajuste salarial de 2017, até agora não pago. A procuradora informou que já foi solicitada a elaboração de uma minuta que trata do reajuste em Boa Viagem.

Ampliação definitiva

A reunião também tratou dos termos do cumprimento da decisão judicial de suspensão da medida da prefeita de anular os atos de ampliação definitiva de carga horária dos professores da cidade. O Sindicato cobrou a restauração da Lei N° 1.282/2016, que autoriza o benefícios para os profissionais da Educação Básica do município.

Atendimento

O vice-presidente estadual do Sindicato e advogado, Reginaldo Pinheiro, e o assessor jurídico, Ítalo Bezerra, prestaram atendimento aos professores associados.