Ainda sem solução o impasse criado pelo governo do Estado para a liberação de empréstimos consignados aos servidores estaduais.

Segundo o Fórum Unificado dos Servidores, a direção do BRADESCO já tomou decisão de não mais operar com empréstimo consignado. Assim sendo, hoje, a responsabilidade é do governo e da empresa Cartão ABC, criada para operar com o sistema de consignação.

Para as entidades sindicais o governo errou quando fez mudanças radicais, pois as novas políticas deveriam ter sido implantadas ao final de cada empréstimo e nunca alterar o que já estava contratado entre o servidor e agente financeiro.

Servidores públicos estaduais continuam sem condição de comprar em farmácias, supermercados, óticas e livrarias, dentro do que regem convênios firmados pelas entidades representativas com o comércio. Isso é consequência da criação do chamado “cartão único” que, até agora, só gerou muita confusão.

Está faltando transparência por parte da Secretaria do Planejamento e Gestão e Fazenda nessa história que envolve as consignações de direito da categoria.