A Frente Norte/Nordeste em defesa da Educação deu mais um grande passo na luta por uma Educação Pública de qualidade e valorização dos seus profissionais. Desta vez em Fortaleza, entidades sindicais e advogados das duas regiões, reuniram-se nesta quinta-feira (24), para traçar estratégias jurídicas e políticas para 2019.

Participaram da reunião o presidente do Sindicato APEOC, Anizio Melo, o vice-presidente, Reginaldo Pinheiro, os dirigentes da entidade, Fábio Lopes, Paulo César Vieira e Alessandro Carvalho, SINDIUTE, representado pelo professor Wellington Soares e assessoria jurídica, a FETAMCE, representada pela presidente Enedina Soares, entidades do Norte e Nordeste, como a ASPROLF (Sindicatos dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Lauro de Freitas) representada pelo diretor Washington Andrade, SINTEPP (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará) representado pelo dirigente Mateus Ferreira, SINTAB (Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema) representado pelo vice-presidente, Giovanni Freire, e pelos dirigentes, Leandro Silva e Joselito Barbisa, SINTEAL (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas), SINDEDUCAÇÃO (Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de São Luís) representado pela presidente Elisabeth Castelo Branco, além dos advogados Aldairton Carvalho e Wanderlei Marques, da banca contratada pela APEOC e o advogado João Ricardo Xavier de Pernambuco.

Em pauta, Precatórios do FUNDEF. No primeiro momento da reunião, advogados e sindicalistas trocaram experiências e tiraram todas as dúvidas quanto aos processos que correm nos municípios e estados das regiões Norte e Nordeste.

No segundo momento, sindicatos reuniram-se para traçar as estratégias de luta pelos Precatórios do FUNDEF. Em uma reunião separada, advogados das duas regiões, a banca contratada pela APEOC e o vice-presidente da entidade discutiram as estratégias jurídicas para os processos dos precatórios.

Para Elisabeth Castelo Branco, presidente do SINDEDUCAÇÃO Maranhão, as duas regiões precisam se unir em prol dos recursos do antigo FUNDEF. “Estou à disposição para lutar em todos os estados” pontuou a sindicalista. Para Anizio Melo, é necessária a criação de uma agenda de lutas, com o objetivo de integrar fortemente as das duas regiões. “As regiões Norte e Nordeste vão mostrar para o país que o dinheiro do FUNDEF é da Educação e de seus profissionais” afirmou Anizio.

No dia 12 de fevereiro, as entidades sindicais do Norte e Nordeste estarão reunidas na sede da CNTE, em Brasília, com o objetivo de fortalecer a luta pelos Precatórios do FUNDEF. Ainda no mês de fevereiro, a Frente em defesa da Educação fará um novo encontro, desta vez no Pará.