Na última quarta-feira (29/05), foi realizada uma reunião do Conselho de Gestão do Novo Issec (CONGE/ISSEC), durante a qual foi discutido o Relatório Quadrimestral Atuarial das Reservas Técnicas do FASSEC. O relatório, apresentado pela consultoria responsável, revelou que a confortável situação econômica do ISSEC deixou de existir e agora enfrenta um cenário extremamente preocupante. A principal causa dessa mudança é o crescimento acelerado da quantidade de procedimentos autorizados pelo Issec, que supera o aumento dos aportes financeiros, além dos elevadíssimos custos decorrentes de ações judiciais relacionadas a home care e oncologia, que custaram mais de 15 milhões de reais em 2023.

Alarmantemente, o ISSEC pagou mais de 321 milhões de reais a 609 credenciados (hospitais, clínicas, laboratórios, etc.) no ano de 2023. O custo médio por vida, que era de R$ 204,17 em 2022, disparou para R$ 304,07 em 2023, um crescimento extremamente preocupante. A contribuição média dos servidores tornou-se deficitária em todas as faixas salariais, aumentando ainda mais a dependência ao repasse do governo estadual, que é de aproximadamente 127 milhões de reais.

Esses números alarmantes refletem a enorme quantidade de atendimentos realizados pelo Issec para mais de 100 mil usuários. Em 2023, foram realizadas mais de 442 mil consultas médicas, 1.694.836 exames de análise clínica, quase 51 mil endoscopias, mais de 65 mil sessões de psicologia e gastos superiores a 96 milhões de reais em internamento hospitalar, entre muitos outros procedimentos que podem ser observados nos relatórios disponíveis no site do Issec.

A reunião contou com a presença da nova superintendente do ISSEC, Katherine Saunders, que assumiu há poucos dias, e foi conduzida pelo representante dos servidores e vice-presidente do CONGE/ISSEC, professor Helano Maia, devido à saída da presidenta do CONGE/ISSEC, Sandra Machado, ex-secretária de planejamento. Também participaram da reunião os conselheiros Aloísio Carvalho, secretário da CGE, Joaquim Vale, representante dos servidores, e Naiana Corrêa, representando a SEPLAG. Durante a reunião, foi aprovada a construção de uma resolução do CONGE/ISSEC permitindo o parcelamento da coparticipação, com parcelas de no máximo o valor da contribuição mensal ao ISSEC. Além disso, ficou decidido que o novo valor das reservas técnicas será definido na próxima reunião de avaliação atuarial, permanecendo o valor definido em dezembro do ano passado.