Parlamentares, entidades sindicais que defendem os profissionais da Educação Básica e Superior e especialistas em Educação iniciaram nesta quinta-feira (02), as bases da Frente Ampla em Defesa da Educação. O ponta-pé inicial foi dado na primeira reunião preparatória para a Audiência Pública sobre o Novo FUNDEB, marcada para 3 de junho, na Assembleia Legislativa do Ceará.

O debate foi coordenado pelos deputados Queiroz Filho (PDT) e Acrísio Sena (PT), presidente e vice-presidente respectivamente da Comissão da Educação da Assembleia Legislativa. Participaram ainda os deputados Renato Roseno (PSOL) e Augusta Brito (PCdoB), e o vereador Ronivaldo Maia (PT). Representantes de entidades sindicais que defendem os profissionais da Educação e a SEDUC também compuseram a mesa de discussão.

Anizio Melo, presidente da APEOC defendeu a união das entidades sindicais e o apoio de parlamentares e governos  para defender a Educação Pública. Chamou os presentes ainda para a Greve Nacional da Educação, puxada pela CNTE, marcada para 15 de maio, com concentração em Fortaleza às 14 horas na Praça da Bandeira, com caminhada pelas ruas do Centro da capital, finalizando com um grande ato unificado na Praça do Ferreira.

“A reunião foi muito importante para garantir a ideia da formação da Frente Ampla, reunindo todos aqueles que entendem que é necessário dar um basta a essa política de desmonte da Educação e a garantia de um Novo FUNDEB, para que a Educação Pública possa resistir e avançar. A Educação unificou, desde a básica a superior, os estudantes e toda a comunidade escolar. Precisamos chamar toda a sociedade para essa luta, garantir aos filhos dos trabalhadores uma Educação Pública de qualidade, livre e laica” pontuou Anizio Melo.

Anizio ressaltou ainda a importância da Frente Norte/Nordeste em Defesa da Educação, um marco na história sindical brasileira, que tem reunido entidades sindicais das duas regiões em prol do financiamento permanente da Educação, com foco nos Precatórios do FUNDEF para a valorização dos profissionais da Educação, a regulamentação da Lei dos Royalties e a aprovação do Novo FUNDEB, que conta hoje com duas PECs, que tramitam na Câmara Federal e no Senado.

Encaminhamentos

  • Após este primeiro debate, foi deliberado que a audiência pública, marcada para 3 de junho, será um grande ato político, incluindo as regiões Norte e Nordeste, chamando para essa discussão os profissionais da Educação, estudantes, parlamentares, sindicatos, movimentos sociais, representantes dos governos estaduais e municipais;
  • Articulação dos parlamentares para apoiar a Greve Nacional da Educação de 15 de maio,
  • Audiências descentralizadas no interior do estado para debater o Novo FUNDEB;
  • Lançamento de uma Frente Parlamentar do Novo FUNDEB; e
  • Material de divulgação unificado.