Luta, agora, é pela implementação

Sancionado o Piso Salarial do Magistério, os trabalhadores da educação básica pública entram, agora, em uma nova fase de luta: pela implementação do piso de R$ 950,00 em todo o país a partir do próximo ano.

Nós, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e do Sindicato APEOC estamos conscientes que a adoção do novo piso nos estados e municípios não será uma luta fácil.

Precisamos ficar atentos para que a lei seja cumprida, mas estamos prontos para mais esse desafio. O importante é que após 13 meses de tramitação na Câmara, os educadores da educação básica pública têm o que comemorar. Com a sanção do presidente Lula, o Piso Nacional Profissional Salarial (PSPN) finalmente virou l ei.

Essa conquista é resultado de uma longa caminhada perseguida por todos nós da CNTE/APEOC, que organizamos uma intensa mobilização em todo o Brasil, inclusive com a greve nacional de 14 de abril deste ano, que atingiu todos os estados brasileiros cuja repercussão contribuiu para a aceleração do processo de debate e a conseqüente votação.

Não podemos esquecer a participação fundamental de parlamentares ligados aos trabalhadores em educação nas duas casas do Congresso que se desdobraram para que o texto aprovado na Comissão de Educação, resultado do debate entre vários atores da sociedade, sofresse alterações que o descaracterizasse.

Finalmente, no dia 2 de julho, o projeto foi aprovado por unanimidade no Senado Federal, em caráter terminativo, e sancionado no último dia 16 de julho pelo Presidente da República. Agora podemos dizer que somos a primeira categoria a ter um piso definido na Constitu ição Federal.

Parabéns a todos nós!