Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a região com maior acesso à pré-escola é o Nordeste, com 79% de crianças de quatro e cinco anos na escola. No Sul, a proporção é de 59%.

Nas avaliações feitas com alunos no ensino fundamental, no entanto, as médias do Sul são maiores.
Educadores concordam que ampliar o acesso à pré-escola é um dos caminhos para reduzir a desigualdade.

No caso da creche, no entanto, especialistas divergem a respeito da melhor política de atendimento às crianças de zero a três anos.

Para o matemático Ruben Klein, ter feito pré-escola faz diferença, mas pode fazer muito mais, se as crianças começarem a aprender a contar, reconhecer números e a ler, o que pode ser feito com atividades adequadas a está faixa etária.