Levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social revela que 431.698 crianças e adolescentes de famílias atendidas pelo Bolsa Família tiveram baixa freqüência escolar no bimestre abril-maio. Há duas faixas de alunos. Na primeira, estão acomodadas as crianças de 6 a 15 anos. Nesse nicho 353.216 alunos tiveram um índice de faltas superior a 15% no bimestre. Na segunda faixa, que inclui alunos de 16 e 17 anos, 78.482 estudantes faltaram a mais de 25% das aulas nos meses de abril e maio.

O excesso de faltas resultou no cancelamento, parcial ou total, de 19.473 benefícios. Deixarão de ser pagos já a partir deste mês de julho. A escala de punições do programa é gradativa. Inclui advertência às famílias, bloqueio e suspensão dos pagamentos, até chegar ao cancelamento dos benefícios.