A Câmara de Vereadores do município de Chorozinho aprovou na manhã desta sexta-feira (10), o Projeto de Lei Nº 002/2020 concedendo o índice de reajuste do Piso Salarial Nacional do Magistério (12,84%) na Carreira dos professores da rede municipal.

Tal projeto de autoria do Poder Executivo Municipal é fruto da cobrança do Sindicato APEOC e do compromisso com a valorização do magistério por parte do município de Chorozinho, representado hoje pelo prefeito Dr. Francisco de Castro Meneses Junior.

A sessão contou com a presença de vários professores que compareceram para acompanhar a votação.

Com a aprovação da referida lei, houve um aumento linear em toda a carreira dos professores, os quais terão suas remunerações acrescidas de 12,84% (reajuste atribuído ao Piso Salarial Nacional do Magistério). Com isso, o professor graduado passará a receber uma remuneração de, no mínimo, R$ 4.113,53 (no mínimo porque esse valor não conta com outros benefícios que o professor pode receber, como difícil acesso, quinquênios ou as próprias ascensões de nível).

Outro ponto de destaque desta lei é que seus efeitos financeiros são retroativos à 1º de janeiro de 2020, ou seja, os professores já irão receber o salário de janeiro com valores reajustados pelo índice do piso.

O professor Alessandro Carvalho, presidente da Comissão Municipal do Sindicato APEOC, ao discursar no plenário da Câmara, ressaltou a importância da união da categoria em torno do sindicato para obtenção de conquistas significativas, como o reajuste já em janeiro, que é uma realidade pouco praticada em estados e municípios Brasil a fora. O mesmo ainda reconheceu o empenho da administração municipal em valorizar os professores e cobrou a marcação da data da Mesa de Negociação entre APEOC e administração para debater os demais pontos da pauta.

Alessandro ainda alertou que é necessário unidade na luta por um Novo FUNDEB: “Chorozinho está de parabéns pela recomposição salarial do Magistério. Pauta justa, importante e merecida por todos aqueles que se dedicam à educação das crianças e adolescentes do município. Todavia, é preciso unidade e foco da categoria na busca por mais financiamento para a educação pública. A batalha por um Novo FUNDEB permanente e com maior aporte financeiro da União deve estar no centro de qualquer debate que se identifique com a defesa da educação pública, em quem nela trabalha e de quem dela necessita”.

Categoria unida, sindicato fortalecido, direitos conquistados!!! JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!!!