O Sindicato APEOC em Paracuru reuniu-se nesta terça-feira (26), com o prefeito, Eliabe Albuquerque, e a secretária municipal de Educação, Dalma Maria Sanders, para debater demandas da categoria. Em pauta, diferenças salariais de professores e os quinquênios.

A APEOC entrou com uma ação na Justiça solicitando que o reajuste salarial seja dado aos professores pós-graduados, assim como foi dado aos professores de nível médio e graduados. O pleito foi ganho e já entrou em fase de execução, beneficiando cerca de 30 professores. Entretanto, a Procuradoria-Geral do Município recorreu da decisão, mesmo a ação já tendo sido transitado em julgado, não cabendo mais nenhum recurso.

Considerando que o mérito das ações não cabe mais recurso, tendo os professores desistido de valores que excediam ao limite estatuído em lei para receber como Requisição de Pequeno Valor (RPV), o prefeito e a secretária de Educação, enviaram um ofício solicitando ao procurador-geral do município que não recorra da decisão e pede celeridade nos processos.

Na reunião, também foi negociado os pagamentos com RPV. Nesta etapa, foram identificados 9 professores. O pagamento será feito para dois professores ao mês, obedecendo a ordem do processo mais antigo.

Em relação aos quinquênios, uma conquista da APEOC no município, a prefeitura de Paracuru quer incorporar o benefício de forma definitiva através de uma lei. As negociações já foram iniciadas, com a apresentação de algumas propostas e ideias que possam assegurar os quinquênios através de uma legislação municipal, e que serão levadas para assembleia geral da categoria, realizada no próximo sábado (30). Na próxima segunda-feira (1), a APEOC volta a se reunir com o prefeito e com a secretária de Educação para estabelecer a posição da categoria.

Presentes na reunião, o vice-presidente estadual da APEOC, Reginaldo Pinheiro, o presidente da Comissão Municipal de Paracuru, Eudásio Gomes, e a vice-presidente, Nádja de Andrade.