A Câmara dos Deputados analisa o projeto que permite aos professores do ensino federal básico, técnico ou tecnológico progredirem mais rápido na carreira caso obtenham títulos de formação acadêmica.

Na prática, será eliminada a necessidade de aguardar o intervalo de dezoito meses entre uma promoção e outra, como ocorre hoje. Pela proposta, o professor poderá ir para a classe D-IV quando concluir doutorado; D-III ao terminar mestrado; e D-II ao obter certificado de especialização, independente do tempo que esteja no nível anterior. O intervalo continua valendo para progressão para a classe D-V.