Os profissionais da educação do município de Palhano, através do Sindicato APEOC, vêm a público denunciar possíveis atos de improbidade administrativa praticados pelo prefeito do referido município. A categoria, representada pelo seu Sindicato, faz denúncia sobre as  irregularidades e ilegalidades que vêm sendo cometidas pelo Gestor Municipal da mencionada cidade contra os seus servidores, tais como:

  1. Atraso no pagamento da remuneração dos profissionais do magistério e demais profissionais da educação;
  2. Descumprimento da Lei do Piso Salarial;
  3. Funcionamento irregular do Conselho do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação);
  4. Indícios de irregularidades na aplicação dos recursos do FUNDEB:
  1. Jardineiros recebendo dos recursos dos FUNDEB (40%),lotados nas escolas sem prestarem serviços nas mesmas;
  2. Servidores que prestam serviços na Secretaria de Educação como Professor Coordenador de Área –PCAs -, motoristas, vigias, jardineiros, auxiliares de serviços, e assessores da Secretária, recebendo gratificações de desempenho excedentes e sucessivas de janeiro a agosto de 2010, sem que haja critérios plausíveis para que seja concedida tal gratificação;
  3. Servidores recebendo diferença salarial de grande vulto, sem que os mesmos apresentem redução de salários nos meses anteriores;
  4. Assessores da Secretária Municipal de Educação percebendo por 400 horas, sendo que os mesmos são lotados com 200 horas na Secretaria de Educação e 200 horas na Escola de Ensino Médio Francisco de Moura.

O Sindicato APEOC e a Comissão Municipal dos Trabalhadores em Educação encaminharam as denúncias, detalhadamente, ao Excelentíssimo Sr. Dr. Herton Ferreira Cabral, promotor de justiça da comarca vinculada de Palhano.

QUEM EDUCA TAMBÉM LUTA!
PRECISAMOS DE TODOS PELA EDUCAÇÃO!