Contrato temporário de sérico e terceirização é uma epidemia que se alastrou no Serviço Público, da União, dos Estados e dos Municípios brasileiros. Não há setor que não exista pessoal com contrato temporário ou terceirizado no Serviço público, especialmente, na educação e saúde.

Milhares de professores estão em sala de aula a mais de dez anos e sem vínculo empregatício com o Estado. Situação esdrúxula e sem perspectivas de solução a curto prazo.

O Estado está promovendo um concurso de professores para quatro mil vagas, mesmo sabendo que existe necessidade de dez mil e logo vai aumentar para atender a demanda imperiosa da educação.

O mais grave no contrato temporário é a falta de segurança do empregado, que, anualmente quebra o vínculo com o emprego e perde garantias indenizatórias.

Para o Sindicato – APEOC o concurso público é a única solução que hoje ou amanhã terá que fazer o governo do Estado e das prefeituras cearenses.