Aumentou em 60% o número de alunos remanejados das escolas públicas municipais para as estaduais. Neste ano, cerca de 13 mil alunos devem concluir o ensino fundamenta.

Cerca de 13 mil alunos que concluíram o ensino fundamental em escolas municipais devem ser matriculadas no 1º ano do ensino médio, de colégios estaduais.

A quantidade é superior em 60% em relação à matrícula de 2011, quando 8.847 estudantes foram remanejados de escolas da Prefeitura de Fortaleza para as do Governo Estadual.

A Lei de Diretrizes Básicas da Educação delimita que a responsabilidade do ensino fundamental seja das prefeituras e do ensino médio, dos governos estaduais. A garantia da Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc) é que todas as 13 mil vagas estão asseguradas. Entretanto, algumas delas podem não ser para colégios escolhidos.

“Procuramos atender ao pedido de cada aluno e fazemos o possível para que a solicitação seja confirmada”, aponta o supervisor da Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza, Magno Mota. Por uma questão de espaço, segundo ele, é que muitas vezes não é possível acolher o desejo dos estudantes. Os pais apontam três prioridades de escolas nas quais querem matricular os filhos.

De acordo com o coordenador de Informações e Pesquisas da Secretaria Municipal de Saúde (SME), Iran Nobre, mesmo que não sejam atendidos os pedidos dos alunos, as escolas nas quais os estudantes são matriculados são aquelas mais próximas de suas casas.

O remanejamento começou na última segunda-feira, 23. Após terem feito as escolhas, alunos devem esperar a escola informar para qual colégio os estudantes foram direcionados. O período de matrículas deve ocorrer entre os dias 13 e 24 de fevereiro. Nesse período, os estudantes devem comparecer com a documentação à escola para a qual foram destinados.

A estudante Cinthia Renata Lima, 15, está concluindo o 9º ano na Escola de Ensino Infantil e Fundamental Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro Álvaro Weyne. O 1º ano do ensino médio, a estudante pretende cursar na Escola Estadual Waldemar Falcão. Ela diz que a escola não costuma ser a principal escolha de muitos estudantes. “Por isso, estou tranquila com a minha vaga”, conta.

O calendário para o início das aulas nas escolas estaduais foi dividido em quatro fases, por conta da greve dos professores no ano passado. As datas foram definidas a partir dos conteúdos aplicados.

O primeiro grupo, que reúne o Colégio da Polícia Militar e dos Bombeiros, dá início às aulas no dia 31 de janeiro. O segundo, com 25 escolas, no dia 5 de março. O terceiro, no dia 2 de abril. O quarto grupo, que congrega a maioria das escolas, começa as atividades curriculares no dia 7 de maio. “A greve prejudicou o nosso calendário da mesma forma que prejudicou o das escolas municipais”, informa.

ENTENDA A NOTÍCIA

O período de matrículas dos alunos remanejados da rede municipal para a estadual ocorre de 13 a 24 de fevereiro. Os estudantes devem levar os documentos necessários à escola em que foram direcionados.

Angélica Feitosa angelica@opovo.com.br
Fonte: O Povo