O Sindicato APEOC repudia toda e qualquer forma de intervenção do governo, seja ele Federal, Estadual ou Municipal nas escolas públicas. A mensagem enviada pelo Ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, a todas as unidades de ensino do país, solicitando que os alunos sejam filmados durante execução do Hino Nacional, é uma afronta a liberdade educacional, não pelo Hino Nacional, mas por sugerir que os diretores escolares filmem os estudantes, como uma espécie de prova comprobatória.

Causa ainda mais estranheza que a mensagem enviada às escolas contenha ainda uma frase de campanha do então candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”.

O Sindicato APEOC entende que temos problemas muito maiores para enfrentar, como financiamento permanente para a Educação e valorização de seus profissionais. Quanto as filmagens pedidas pelo ministério, por que não pedir imagens da infraestrutura das escolas, principalmente em período de chuva, do material escolar dos alunos, quase sempre insuficientes. Ou ainda do “malabarismo” que muitos profissionais da Educação precisam fazer para dar aula ou atender de forma minimamente digna os alunos?

Segundo o professor Anizio Melo, presidente do Sindicato APEOC, o Governo Federal perde energia com as chamadas “pautas de costume” e deixa de lado o que realmente importa para a população. Para o docente, discussões assim só servem como “cortina de fumaça” para esconder projetos e ações que podem mudar, para pior a vida do brasileiro. O docente enumera os agravantes dessa mensagem enviada às escolas:

  1. “O ministro Ricardo Vélez Rodríguez calado é um poeta”;
  2. Amar a pátria é defender os interesses de seus cidadãos, suas riquezas naturais, é garantir os direitos dos trabalhadores, a liberdade, o combate ao racismo, lutar contra a homofobia, garantir o acesso à Educação para todos e todas, em todos os níveis, é valorizar os profissionais da Educação, é defender a Educação Pública como instrumento de transformação”;
  3. Portanto senhor ministro, pare de ofender os brasileiros, pare de cooperar com esse governo que tenta destruir nossos sonhos, e entenda que muito mais do que o senhor, nós brasileiros e brasileiras, profissionais da Educação, defendemos sim nossa nação, inclusive contra o governo que o senhor representa. Um governo autoritário, fascista e entreguista” afirmou Anizio Melo.

Para o presidente do Sindicato APEOC, o Ministro da Educação deve dignificar seu posto. “Queremos a continuidade do FUNDEB, com mais recursos, queremos os Precatórios do FUNDEF para os profissionais da Educação, queremos que os recursos dos Royalties do Pré-Sal sejam investidos na Escola Pública, queremos uma Escola livre, laica e com respeito as diferenças” pontuou Anizio.