Sem saber se haverá reposição das aulas, crianças estão fora da unidade porque faltam discentes

Ontem foi o Dia Internacional da Alfabetização, mas para as crianças da Escola Municipal de Educação Infantil e Fundamental Santos Dumont, no bairro Bom Jardim, não foi havia motivo para comemorações.

A tarde foi na verdade de protesto, especialmente para as mães das crianças do Jardim II e 1ª Série. É que desde abril deste ano, quando o período letivo começou, os filhos estão sem ter aula regularmente porque faltam professores. São 50 crianças que deveriam estar aprendendo a ler e escrever, mas estão sendo deixadas na casa de vizinhos – enquanto as mães estão no trabalho – porque não existe professor. De acordo com a coordenadora pedagógica da escola, Michele Martins, o problema acontece porque os educadores deixam a escola. “alguns passam em concurso, outros desistem mesmo”, disse.

As mães reclamam que as justificativas dadas foram outras. “Disseram que as professoras estavam doentes e entraram de licença. Uma vez aparece um professor, depois some, aí depois aparece outro e some de novo, a criança não aprende nada, não assimila nada, retarda o aprendizado, é um prejuízo que não tem volta”, reclamou a atendente Anália Rute da Silva.

A coordenadora pedagógica disse que compreende a manifestação das mães, mas que essa não é a realidade de apenas uma escola.

A Secretaria Municipal de Educação (SME) informou, por nota, que está lotando professores para suprir o mais rápido possível as carências da Rede Municipal de Ensino.

Além dos 1.264 professores aprovados em concurso público realizado em 2009 e convocados em abril deste ano, a SME convocou em agosto deste ano mais 283 professores do Cadastro de Reserva do referido concurso e mais professores devem ser convocados em 2010.

JANAYDE GONÇALVES
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste