Sindicato APEOC Entrega proposta de PCR, cobra instalação de comissão e arranca audiência com o governador Cid Gomes.

A Direção do Sindicato APEOC, esteve na Assembléia Legislativa quando da abertura dos trabalhos legislativos 2010, para cobrar diretamente do Governador Cid Gomes o cumprimento da Lei nº 11.738 do Piso Salarial Nacional do Magistério Público, aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente Lula e infelizmente questionada por cinco governadores inclusive o chefe do executivo cearense Cid Gomes.

Na ocasião, o Sindicato APEOC entregou sua Pauta de Reivindicações 2010 e a Proposta da Categoria para a readequação do PCR ao Governador Cid Gomes, ao Presidente da Assembléia Domingos Filho,ao Presidente da Comissão de Educação Artur Bruno e a vice Presidente Raquel Marques,comunicando as autoridades que o Sindicato entregaria ainda o documento da categoria a Secretária de Educação e ao Ministério Público.

Os dirigentes sindicais expressaram sua contrariedade em relação ao descumprimento por parte do governo do compromisso, diante do Ministério Público de formalizar comissão especial de negociação com representação do governo e do Sindicato APEOC, para apresentarem proposta de reformulação do PCR.

Diante da inércia governamental a direção do Sindicato APEOC, durante todo segundo semestre de 2009, coordenou e mobilizou uma série de atividades com o intuito de debater e formular uma proposta que ouvindo a categoria através de 11 seminários regionais em conjunto com a Comissão de Educação da Assembléia Legislativa, pudesse gerar um documento guia para a luta da categoria em defesa de suas conquistas.

O lançamento em setembro de 2009 da Cartilha do Sindicato APEOC “Construindo Nosso Plano de Carreira para Garantir Nossa Dignidade”,a elaboração da pesquisa Análise Comparativa Salarial dos Professores das Redes Estaduais”, que repercutiu na imprensa local e nacional,onde nosso Sindicato desvelou com muita competência a classificação do salário dos professor do Ceará com o 6° pior do Brasil (veja site APEOC).

Portanto, quem sabe faz a hora,a nossa categoria cobra do governador que o Plano de Carreira seja discutido de forma transparente, democrática em consonância com os grandes debates nacionais sobre os rumos da educação pública e da valorização de seus profissionais.

Não vamos aceitar na história do Ceará que setores do governo ainda com visão neoliberal, tecnicista e economicista rumem contra a maré da construção do Sistema Nacional Articulado de Educação, que pode ser o marco para garantir que a educação seja elemento estratégico no processo de desenvolvimento sustentável, com distribuição de riqueza,soberano e que valorize o serviço público.

Estamos preparados,temos compromisso, temos proposta e muita garra para defender a escola pública de qualidade com dignidade para quem nela estuda e trabalha.