mariano martinhs 14032014 3.pDando sequência ao processo de mobilização, o Sindicato APEOC esteve reunido com os professores da Escola Mariano Martins.

O Prof. Sérgio Bezerra, do Departamento Jurídico do Sindicato APEOC, pautou as conquistas recentes como: Aplicação da jornada de 1/3; Aplicação de 81,9% do FUNDEB na folha de pagamento do magistério em 2013; concurso público para 3.000 mil novos docentes; Paridade de regência e vencimento do professor temporário similar ao do professor efetivo; mas também alertou que existem pontos não resolvidos como o vale alimentação do temporário, descompressão da carreira, a situação da gratificação extraclasse, a demora na publicação dos atos de estabilidade e o não reajuste da PVR, daí a razão da paralisação. 

O Prof. Ítalo Guerreiro, também Departamento Jurídico do Sindicato APEOC, destacou que se faz necessário reforçar a pauta da nacionalização da carreira, pois, as fontes de financiamento não são suficientes para uma educação de excelência e que o Sindicato APEOC está com seu corpo jurídico disponível para solucionar qualquer empecilho que venha a surgir. 

Após os encaminhamentos, e o debate democrático, os professores aderiram, por unanimidade, à Greve Nacional (17, 18 e 19 de março) convocada por nosso sindicato e pela CNTE.