2012.06.26.IMG 0248O Sindicato APEOC participou dos debates do Encontro de Formação da CUT 2012, através do seu presidente, professor Anízio Melo, e diretores Hélder Nogueira (também secretário geral da CUT-CE) e Fábio Lopes. O Encontro de Formação foi realizado em dois dias (terça e quarta-feira desta semana) na sede da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece), e teve como objetivo discutir diversos temas que norteiam o cenário político e sindical, além de planejar uma agenda de atuação do coletivo. [galeria de fotos]

Durante o encontro foram debatidos temas dos mais relevantes, dentre os quais, a questão dos Territórios da Cidadania, Inclusão Tecnológica e a Qualificação Profissional.

Anízio Melo, presidente do Sindicato APEOC, compôs a mesa dos trabalhos do encontro, e é da opinião de que os sindicatos precisam encarar o processo de formação como investimento e não como custo. E que o Sindicato APEOC vem atuando também nessa área com dedicação e firmeza, já que a formação sindical é base para novas conquistas.

O coordenador-geral da Escola Nordeste, Admirson Medeiros, disse na solenidade de abertura do encontro que “a formação é importante para alguém que briga por uma sociedade mais justa, mais igualitária”. Ele informou que atualmente são mais de 400 dirigentes da CUT que estão trabalhando com formação no País.

“Formação é algo permanente e que tem de ter continuidade”, discursou. “Somos nós que temos de formar a classe trabalhadora.” A ideia é que no próximo semestre a formação seja intensificada na CUT.

A presidenta da CUT-CE, Joana Almeida, disse que o papel da formação sindical da Central é não deixar que a utopia, a ideologia e o socialismo não desapareçam do vocabulário da Central.  Segundo Joana, formação também é trazer à tona a memória de luta do movimento sindical. “A nossa história é o que nos move para querermos lutar. Não é possível que um militante entre no sindicato e não conheça essa história porque ele não será capaz de se conhecer, capaz de transformar o outro, capaz de transformar a realidade”, finalizou.

(APEOC e CUT-CE)