O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que as questões do próximo Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), no fim do ano, já serão formuladas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e não mais pela empresa contratada para aplicar o teste.

No Enade de 2009, 54 questões, um total de 7%, foram excluídas por falhas nas perguntas ou respostas. O ministro considerou inaceitável o índice de anulações. A margem de tolerância, segundo ele, não deve ultrapassar 3%.