E estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em mais uma análise da série sobre a Pnad 2008, também destaca o tema juventude. Num dos poucos dados regionais mostra que 6% da população do Nordeste, com idade entre 15 e 29 anos, é analfabeta. O índice alarmante é o maior das regiões do País, superando em quase duas vezes a média nacional (2,8%) e a Região Norte (3%). Essa população de jovens soma hoje 49,7 milhões de pessoas, cerca de 26,2% da população brasileira.

O texto mostra que os jovens adolescentes brasileiros (de 15 a 17 anos) têm diminuído a participação no mercado de trabalho, o que é uma boa notícia, pois essa idade deve ser destinada ao aprofundamento nos estudos. A participação caiu de 45% em 1998 para 37% em 2008. “A idade média de entrada no mercado de trabalho tem aumentado nas duas classes das pontas, aqueles com faixa de renda de cinco ou mais salários mínimos e os de renda menor que ¼ de salário mínimo. Entre os fatores que motivam isso estão o mercado de trabalho mais pujante, que faz com que a renda dos pais melhore, e políticas como o Bolsa Família”, explicou a técnica.

Mas o estudo também revela resultados preocupantes. Dentre eles, o que 16% das meninas e meninos do Brasil estão fora da sala de aula. E 10% não trabalham nem estudam.