2012-12-13 12.52.230Sindicato APEOC e CUT-CE participam, em Brasília, do Seminário “Federalismo e Educação” realizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), no Conselho Nacional de Entidades (CNE).

A direção do Sindicato APEOC, representada pelos Profs. Anízio Melo (presidente), Juscelino Linhares (Executiva da CNTE) e Sérgio Bezerra (CNE); e a CUT-CE, representada pelo Prof. Helder Nogueira (Secretário Geral da CUT-Ce), conduziram o debate e defenderam, no referido seminário, a tese da Nacionalização da Carreira dos Profissionais da Educação.

2012-12-13 09.11.230O Prof. Anízio Melo, destacou a importância da tese da Nacionalização como mecanismo de radicalização da Valorização dos Profissionais da Educação. Defendeu que a Nacionalização expressa a exigência da definição de dois mecanismos básicos: As diretrizes Nacionais de carreira e o Fundo de Equalização para financiar o processo nacional de qualificação da carreira.

O Professor Helder Nogueira, enfatizou  que o debate da qualidade da educação no âmbito do Custo Aluno Qualidade (CAQ) deve ser evidenciado a partir do novo Plano Nacional de Educação (PNE). É preciso garantir que o tema da Valorização dos Profissionais da Educação, expresso na tese da Nacionalização da Carreira, seja incluído como um insumo fundamental para a educação no país.

2012-12-13 13.08.230O Prof. Juscelino Linhares defendeu a tese da Nacionalização da Carreira na executiva da CNTE e destacou que a tese oriunda do Ceará é fruto dos estudos e pesquisas dos coletivos organizados pelo Sindicato APEOC.

O Prof. Sérgio Bezerra destacou que o Conselho Nacional de Entidades precisa debater temas relevantes para a educação nacional e avançar em pautas relevantes como o Financiamento da educação e a Valorização da Carreira dos Profissionais da Educação.

Por fim, o Professor Carlos Abicalil, ex-presidente da CNTE e consultor do Senado Federal, defendeu que a tese da Nacionalização da Carreira dos Profissionais da Educação é pertinente e deve avançar como processo que evidencia a construção de um Sistema Nacional de Educação que define a autonomia dos entes federados à luz das exigências sociais e políticas para efetivar os direitos.